Este é um blog pessoal, onde colocarei textos escritos por mim em momentos de alegria e de angustia e textos que chegam em minhas mãos através de e-mails de amigos e que de alguma forma tocam meu eu interior.

16 de outubro de 2012

UMA ENXURRADA OU UM VULCÃO?

Há momentos em que nos sentimos tão angustiados, tão aflitos, parece que vamos explodir, até muitas vezes sentimo-nos mal fisicamente.
Na TC tem um lema: "Quando a boca cala, o corpo fala, e quando a boca fala o corpo cala".
Quando a boca cala, tudo vai crescendo dentro de nós, tristeza, angustia, medo, insegurança, decepção, é como estar em um quarto muito, muito pequeno e escuro, sem conseguir abrir a porta para sair.
Precisamos que alguém abra a porta por fora e muitas vezes ao a porta ser aberta não conseguimos dar os passos para fora e então cair em seus braços e uma torrente de lágrimas lavar tudo.
Então a boca vai falando como uma enxurrada, levando tudo que está pelo caminho, encostado nas paredes, esquecido ali por anos, acostumados a sor caminhar pelo meio e não lembramos ou não damos atenção para o que está dos lados, e nessa enxurrada muitas dessas coisas vão junto.
O falar é como um vulcão quando entra em erupção e lança sua lava para fora e vai queimando tudo que está no caminho, por isso é feita toda uma preparação quando o vulcão está dando sinais de erupção para que ninguém se machuque, um direcionamento de rota, para não machucar ninguém.
Depois da enxurrada ou da erupção vem a retomada de vida, aproveitar o que pode ser aproveitado, consertar o que tem conserto, jogar o entulho que sobrou, limpar tudo e se apoderar da plantinha chamada força interior e cuidar para que ela cresça e possa dar flores para alegrar e frutos para alimentar.
É tão bonito depois de uma queimada ver as plantinhas brotando tão verdinhas no meio das cinzas que ficaram.